Sem categoria

Desmonte da Previdência e Atentados Contra a Cidadania

A Reforma da Previdência vai atingir a todos os membros da IECLB e colocar em risco o amparo na velhice. Compreendemos que precisamos convocar a todos/as na igreja para refletir, debater e se manifestar. Sindicatos e movimentos populares estão conclamando para lutar contra a retirada de direitos do povo. Protestemos!
Com a reforma o futuro fica incerto. Em caso de desemprego o/a cidadão/ã não conseguirá contribuir. Serão mais anos trabalhando para completar o tempo de serviço. Com mais idade, mais doenças. Conforme os anos avançam, menos chance de conseguir emprego.
Resultado: a aposentadoria vem mais tarde e a pessoa fica com menos dinheiro e empobrece.
Qual o efeito da dessa “reforma”:
1. A aposentadoria integral será para uma minoria que tenha capacidade de contribuir por 40 anos.
2. A aposentadoria parcial, com valor rebaixado (60% da média de todas as contribuições) será inacessível para mais de 35% dos brasileiros, que nem sequer conseguem comprovar 20 anos de contribuição.
3. O reajuste dos benefícios deixaria de ser corrigido pela inflação.
4. A idade mínima de 62/65 anos poderá ser de 64/67 em 2033, pois sempre que a expectativa de sobrevida se elevar um ano, a idade mínima também subirá.
5. Na Previdência Rural, a idade mínima da mulher sobe de 55 para 60 anos e o tempo de comprovação da atividade rural é substituído por tempo de contribuição durante 20 anos;
6. A “reforma” restringe o acúmulo de mais de uma aposentadoria e pensão, sendo que a pensão fica restrita a 60% do valor.
Num sentido mais amplo, vemos um verdadeiro atentado contra a cidadania. Direitos sobre direitos, conquistados com muita luta pelo povo trabalhador, estão sendo usurpados pela classe dominante. O desmonte da Cidadania começa a ocorrer com o Golpe civil-militar-emprearial de 64 e a luta contra essa ditadura gestou a Constituição de 88 que consolidou muitos direitos do povo brasileiro. A partir do período neoliberal dos anos 90 os governos Collor e FHC tentaram desmontar os direitos conquistados pela Constituição de 88. Finalmente o Golpe militar-jurídico-empresarial-midiático-parlamentar de 2016 retomou o desmonte dos direitos da Constituição de 88 ao congelar pela PEC 55 os recursos da saúde, educação e assistência social por 20 anos e não mais permitir o aumento do salário mínimo acima da inflação, além da reforma trabalhista que desmontou a CLT e a reforma da previdência quer coroar esse desmonte de direitos do povo brasileiro para garantir a taxa de lucros dos empresários e principalmente dos banqueiros.
Compreendendo a gravidade dessa situação, conclamamos a todos para que se informem e reajam nas mobilizações nas ruas a essa proposta de reforma da previdência e pressionem os políticos (vereadores, prefeitos, deputados) para se posicionar contrários a esse desmonte de direitos e nunca mais votem nos deputados que apóiam essa reforma. Somamos as nossas preocupações àquelas já expressas no Manifesto da IECLB: Nosso Compromisso é o Evangelho (http://www.luteranos.com.br/textos/manifesto-da-ieclb-nosso-compromisso-e-o-evangelho).

Gunter Adolf Wolff – Pastor Lobo


Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.