Sem categoria

Mensagem do VI Encontro Inter Sinodal de Mulheres PPL

Nós mulheres reunidas no 6º encontro Intersinodal de Mulheres da Pastoral Popular Luterana (PPL), em Condor-RS, sob o tema “Mulher Campesina e Mulher na cidade: Direitos adquiridos e Direitos perdidos”, queremos nos manifestar nesse momento delicado, de crise política, ética, moral, social e econômica que afeta o povo brasileiro. 

Sabemos que essa realidade atinge diretamente a nós mulheres. Por isso, como mulheres luteranas, acreditamos que, para superar esse momento, precisamos estar sempre alertas, unidas e em rede. Pois nossas conquistas dependem das nossas forças. 

Toda a atenção é necessária. É preciso desacomodar-se, sair da zona de conforto e se incorporar à luta! Só assim conseguiremos construir políticas públicas que atendam os nossos anseios e necessidades e garantam vida digna para todas as pessoas, onde os direitos humanos sejam realmente respeitados. Isso não é uma questão meramente ideológica ou política, mas sim uma questão de sobrevivência. 

Estamos conscientes que Deus nos criou a sua imagem e semelhança, sem distinção de gênero, etnia e classe social. Essa luta é uma continuidade da caminhada do povo de Deus de acordo com os relatos bíblicos, onde Ele conduziu o seu povo rumo a Terra Prometida, e ainda hoje continua nos guiando para um futuro de paz , igualdade e justiça.

Que Deus nos ajude a cumprir essa missão! 

Que a rede que construímos seja intensificada! 

Seguimos caminhando…

 

Condor, 18 de março de 2018.

 

Redigido por:
Pa. Louraini Christiman – pastora emérita
Ivone Bado Streicher – presidente do Conselho dos direitos da Mulher de Três de Maio-RS
Bárbara Luise Hiltel Venturini – coordenação CONAJE

Mulheres, Noticias

Casa Comum X Nem Tão Doce Lar

Querid@s, estamos na semana da Paixão. Nela, lembramos do sofrimento e da morte de Cristo na Cruz para nos dar a salvação. Tivemos uma bela celebração no Domingo de Ramos no Encontro Intersinodal de Mulheres da PPL. Mais de quatrocentas mulheres estiveram reunidas no CCE. Ramos erguidos e lenços erguidos, clamamos “Pelo Fim da Violência Doméstica”. O teólogo Rogério Aguiar representou a Fundação Luterana de Diaconia que trouxe para o encontro a Ex-posição Itinerante “Nem Tão Doce Lar”, uma casa com cenas de violência doméstica para motivar a reflexão sobre o tema. Esta exposição ficará aberta na casa pastoral até dia 24 de abril. Prestigia-rão o evento o Pastor Sinodal Jair Holzschuh, Pastora Carmem Siegle da Coordenação de Gênero da IECLB, o Padre Irineu Paetzold, o Vice Prefeito José Roberto Gomes e o Presidente da PPL Pastor Renato Kuntzer, além de outras autoridades seculares e religiosas.

Durante o encontro foi lembrado o tema da Campanha da Fraternidade Ecumênica, “Casa Co-mum, Nossa Responsabilidade” – uma oportunidade de refletir também a respeito dos lares e de como as relações neles se estabelecem. Precisamos modificar relações de poder e dominação em relações de respeito e comunhão. E onde isso não é possível, ali compete a cada cidadão de-nunciar a violência e a opressão. Para isto, existe o número 180 (Central de Atendimento à Mul-her), que pode auxiliar tanto nas denúcias, quanto no acompanhamento e proteção das mulheres vítimas de violência. Outro apoio está no poder público que disponibiliza amparo; como é o caso do CRAS Centro de Referência e Assistência Social em Palmitos.

Realmente, o tema da Campanha da Fraternidade nos abre um leque de possibilidades para refletir sobre nossa dignidade enquanto habitantes do Planeta Terra. Saneamento básico, cuidado com a água , preservação da natureza, não podem estar desacompanhados da pergunta pel@ outro@. Precisamos refletir sobre as relações de poder que influenciam positiva ou negativamente na convivência entre nós. Tendo em vista que, compartilhamos essa grande “Casa Comum”. Ne-cessitamos resgatar o respeito e o cuidado que nos identificam enquanto humanos. Esta é nossa vocação a partir de Gênesis 1 e 2. Cuidemos desta nossa “Casa Comum”, pois ela é tanto o planeta, quanto o lar que compartilhamos com nossa família. E nesta Semana Santa lembremos: Cristo veio para nos dar vida e vida em abundância. Foi exatamente nessa luta e por mexer com as relações de poder injustas que ele – O CRISTO – foi parar na cruz.

Uma abençoada Semana Santa para tod@s com muita fé unida à ação.

Pastora Neida Inês Altevogt Sander

Mulheres, Noticias

IV Encontro Intersinodal de Mulheres

A Pastoral Popular Luterana promoveu no domingo de Ramos o IV Encontro de Mulheres da PPL, O encontro reuniu 400 mulheres dos Sínodos Uruguai, Planalto Rio-Grandense, Noroeste Riograndense e Rio Paraná. Quem acolheu o encontro foi a Comunidade Evangélica de Palmitos/SC.

O encontro tratou do tema da violência contra a mulher, especificamente a violência doméstica, sendo motivado pelo projeto “Nem tão doce lar” da Fundação Luterana de Diaconia (FLD). A temática foi assessorada pelo teólogo Rogério Aguiar. Foi um ótimo domingo, com a presença de mulheres de todas as idades a fim de celebrar a vida, a fé em Jesus a partir de uma triste realidade que testemunha contra o Evangelho, que é a violência contra as mulheres.

Foi um dia especial que iniciou com o lavar das mãos com sabonetes perfumados, exalando o cheiro agradável da justiça e da dignidade. Celebramos a presença do Deus da vida que  criou todos nós, homens e mulheres, à sua imagem e semelhança, na mesma dignidade e importância. Por isto fomos confrontados por meio da palestra, da visitação à casa “Nem tão doce lar” e de variados testemunhos da violência, da discriminação, da impunidade e da exclusão dos direitos básicos que vitimam as mulheres. Nos alegramos e nos fortalecemos pela ação transformadora da fé em Jesus relatadas por uma série de convidados na parte da tarde. Foi extremamente importante e significativo a presença da Secretaria Geral da IECLB com a presença da Pastora  Carmen Michel Siegle responsável pela Coordenação de Gênero.

Ao final as participantes expressam seus sonhos e desejos pela superação da violência doméstica.

“Senhor nosso Deus. Tu que és Pai e Mãe, tu que nos carregas nos braços nos momentos em que nos sentimos fragilizadas, a ti nos achegamos. Agradecemos pelas ofertas destinadas à PPL com as quais edificaremos vidas para receber o teu Reino. Agradecemos por que tu nos fortaleces nas lutas diárias contra a violência, por justiça e paz. Queremos trazer diante de ti nossos pedidos por tantas mulheres que ainda sofrem caladas, humilhadas, escondidas. Queremos te pedir que nos uses como teus instrumentos para edificação de uma sociedade igualitária, sem sexismo, sem dominadores ou dominados, sem exploradores ou explorados. Mas, que possamos exaltar a qualidade do espírito feminino que preserva e promove a vida. Que possamos assumir o papel de cuidadoras, mas que não esqueçamos que temos em nós a força da revolução para o bem e não para o mal. Que sejamos guardadas na tua graça e que ao retornar para os nossos lares possamos levar a tua bênção transformadora junto conosco.”

A despedida foi um “até breve”. Há um compromisso assumido para o V Encontro a ocorrer em 2017.

Pastoral Popular Luterana! Fé e Ação!!!