Igreja, Noticias

Celebração em favor do Rio Uruguai

Hoje o Rio Uruguai oferece democraticamente seus espaços de lazer, suas praias mansas às margens de sua imensidão de água. Espaço aberto, sem cerca, águas doces para refrescar os corpos cansados do calor escaldante. O barramento de suas águas será o fim do rito de décadas de lazer de uma imensidão de famílias que buscavam a tranquilidade deste espaço às suas margens  e de onde a piazada, as gurias, os tios e tias, vovós e vovôs tiravam do rio  lambaris e pintados? Vamos querer um gigante adormecido? Morto e inerte? De águas turvas e mal cheirosas? Sepultar riquezas milenares que compõe a riqueza da fauna e flora do rio. Riqueza só dele, exclusivamente dele. E em nenhum outro lugar do mundo. Há indiferença e desdem em relação às árvores, as bromélias, os peixes e animais em seus mais diversos tamanhos e espécies. Querem ver o progresso, a modernidade invadir esses barrancos e cafundós. Que modelo de modernidade é essa que ainda não aprendeu a conviver com o meio ambiente e respeitar os recursos naturais?

Felizmente continuamos com o Rio Uruguai livre e vivo em seu trecho binacional. Sábado, dia 12 de março de 2016 celebramos em defesa do Rio Uruguai e manifestamos nossa oposição às barragens de Garabi e Panambi. Após cinco anos de atividades de resistência e organização popular, em fevereiro de 2015,  uma ação civil pública proposta pelo MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL e pelo MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL contra o IBAMA e a ELETROBRÁS suspendeu o processo de licenciamento ambiental e de qualquer estudo para a licença prévia da construção da barragem de Panambi. Após alguns anos de preocupação, angustia e incertezas, as famílias ameaçadas puderam ter um ano de paz e tranquilidade.

A celebração em favor do Rio Uruguai aconteceu em Alba Posse/Argentina e foi organizada pelo Sínodo Noroeste Riograndense – IECLB e a Diocese de Santo Ângelo da Igreja Católica, juntamente com as Igrejas parceiras da Argentina, Distrito Missiones da Iglesia Evangelica del Rio de La Plata e o Distrito Norte da Iglesia Evangelica Luterana Unida e Diocese de Oberá da Igreja Católica. Suplicamos à Deus nas palavras do Salmo 43.1 – Faze-me, Ó Deus, justiça. Justiça que permite às famílias ribeirinhas viverem em paz em suas propriedades, tranquilidade e segurança em suas comunidades.

A celebração fez parte das atividades motivadas pelo Dia Internacional de Luta contra as Barragens (14 de março). Com a celebração e o ato ecumênico as Igrejas expressaram o seu compromisso profético em favor das famílias e do meio ambiente ameaçados pelos projetos.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.